• PAGINA INICIAL
  • REGIONAL
  • O BLOG
  • CONTATO
  • ENVIAR NOTICIAS
PROMOÇÃO LG-A275 DUAL SIM LANTERNINHA NOVOS ZERADOS APENAS 80,00 R$ EM Marcos celular © Com Desbloqueio De Celular De Todas As Operadoras Do Brasil. TEMOS CARTÃO DE MEMORIA CAIXA DE SOM CARREGADORES FONE etc

FÁBRICA APODI Trabalhadores paralisam construção no bom sucesso


Limoeiro do Norte. A obra de construção da fábrica de cimento Apodi em Quixeré, município a 176 km da capital, está parada deste a última terça-feira (26). Segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplanagem em Geral no Estado do Ceará (Sintepav-CE), a categoria reivindica o pagamento das horas extras e também melhores condições de trabalho.
Três empresas são responsáveis pela construção da fábrica de cimento Apodi: PB Construtora, CMC Montagem e Caldenorte. As três juntas empregam cerca de 1.200 trabalhadores, segundo afirmou o presidente da Sintepav, Raimundo Nonato Gomes. De acordo com ele, os operários estão pedindo o pagamento de horários extras, melhores condições de segurança e alimentação e água de qualidade. "Os trabalhadores estavam se sentindo prejudicados com a atual situação e então tomamos à frente na deliberação da greve", afirma.
Falta de quórum
Na manhã de ontem, representantes do Sintepav-CE se dirigiram ao canteiro de obras localizado na comunidade de Bom Sucesso, para realização de uma assembleia geral. Porém, com a falta de quórum (menos da metade dos trabalhadores estavam presentes no local), a assembleia foi adiada para a próxima segunda-feira.
"Nós pedimos às construtoras que levem seus funcionários até o canteiro de obras no dia em questão. Lá, nós vamos expor nossa pauta de reivindicações e vamos fazer as negociações", afirmou Gomes.
Ele explicou ainda que mesmo havendo negociações até o fim desta semana, a proposta acertada será votada na assembleia. Se a proposta for aceita, na segunda-feira, os funcionários voltam ao trabalho, caso contrário, haverá continuidade nas negociações. Enquanto isso, os trabalhadores estão parados em suas residências ou em alojamentos e só voltarão ao trabalho após o fim das negociações.
Providências
Segundo o engenheiro da PB Construtora, responsável pela obra, Rodrigo Camilo, a empresa não foi informada à respeito das reivindicações da classe e ressalta que a construtora está cumprindo todo o regulamento estabelecido na Convenção Coletiva. "Nós vamos ouvir o posicionamento do sindicato para, dessa forma, tentar resolver o problema", afirma.
Já o diretor presidente da empresa de cimento Apodi, Adalto Farias, está de férias e fora do País há dez dias. Ele disse estar sabendo da paralisação, mas desconhecia as reivindicações.
Histórico
A obra de construção da fábrica de cimento Apodi teve início há mais de um ano e a conclusão da primeira etapa está prevista para até o mês de julho deste ano, quando já devem iniciar as operações a partir de agosto.
A princípio, está prevista uma produção de três mil toneladas de cimento por dia. O local para instalação da fábrica foi escolhido diante da grande reserva de calcário, matéria prima para produção de cimento. Com alto investimento, a fábrica empregará tecnologia de ponta em todas as etapas da produção, sendo importada de vários países do mundo, principalmente da Europa e Ásia. Essa é a segunda fábrica de cimento Apodi no Ceará. A primeira opera há mais de dois anos no Pecém.

Via Diário do Nordeste